Disfluência e gagueira

Como fazer a higiene bucal em bebês e crianças?
6 de março de 2017
Crises de birra
6 de março de 2017

Entenda a diferença entre gagueira e o desenvolvimento normal da linguagem.

Seu filho está gaguejando?

Caso seu filho tenha dificuldade para falar e costuma hesitar ou repetir determinadas sílabas, palavras ou frases, ele pode ter uma disfluência ou uma gagueira. Contudo, ele também pode estar atravessando um período de disfluência normal, período este que muitas crianças enfrentam quando estão aprendendo a falar. Entenda a diferença entre gagueira e o desenvolvimento normal da linguagem.

A disfluência normal das crianças

1. A criança dentro do seu desenvolvimento normal pode ser disfluente, ocasionalmente, repetindo uma ou duas vezes sílabas ou palavras, por exemplo: pa-pa-pato.

2. As disfluências ocorrem com mais frequência entre um ano e meio e cinco anos de idade, costumam ir e vir.

Normalmente, essas disfluências são sinais de que a criança está aprendendo a usar a linguagem de maneira nova.

A criança com gagueira leve

1. A criança com gagueira leve repete sons mais de duas vezes, pa-pa-pa-pa pato por exemplo. A presença de tensão pode ser evidente nos músculos faciais, especialmente ao redor da boca.

2. A intensidade de voz pode aumentar com as repetições e, ocasionalmente, a criança terá “bloqueios”, ausência de ar e voz por alguns segundos.

3. Tente falar mais lenta e relaxadamente quando conversar com seu filho. Não fale tão devagar de modo que sua fala pareça estranha, mas mantenha-a lenta e faça várias pausas.

4. A fala lenta e relaxada pode ser mais eficaz quando a criança tiver um tempo do dia com a atenção de seus pais só para ela, sem ter que competir com outros.

5. Tente não ficar chateado ou nervoso quando a gagueira aumentar. Seu filho está fazendo o melhor que pode para aprender muitas regras novas de linguagem (todas ao mesmo tempo). Sua atitude de aceitação e paciência vai ajudá-lo muito.

6. Se seu filho fica frustrado ou triste quando a gagueira está pior, dê a ele segurança.

7. Algumas crianças se sentem melhor quando ouvem “Eu sei que às vezes é difícil falar… mas muitas pessoas empacam em algumas palavras… não tem importância”.

8. Algumas crianças se sentem mais confiantes ao serem tocadas ou abraçadas quando se sentem frustradas.

9. As disfluências vão e vêm, mas estão mais presentes do que ausentes.

A criança com gagueira severa

Se seu filho gagueja em mais de 10% da sua fala, apresenta esforço e tensão para falar, evita palavras (muda a palavra) e/ou usa vários sons para começar a falar, ele precisa de terapia. Os bloqueios de fala são mais comuns do que as repetições e os prolongamentos. As disfluências estão presentes na maioria das situações de comunicação.
As sugestões dadas para os pais das crianças com gagueira leve também servem para as crianças com gagueira severa. Tente lembrar que lentificar e relaxar sua própria fala traz muito mais benefícios para a criança do que falar para seu filho relaxar, respirar, pensar, falar mais devagar, etc.
Encoraje seu filho a falar com você sobre a gagueira. Mostre paciência e aceitação enquanto conversar sobre o assunto. Superar a gagueira é mais uma questão de perder o medo de gaguejar do que esforçar-se para falar melhor.

DICAS IMPORTANTES…

• Fale lenta e relaxadamente mas não perca a naturalidade
• Preste mais atenção ao conteúdo da mensagem e não no quanto a criança está gaguejando
• Mostre que você está prestando atenção ao que a criança fala: acene com a cabeça, sorria, faça sons de aprovação, etc
• Mantenha contato de olho com a criança enquanto ela estiver falando
• Não apresse a criança a falar. Não termine as palavras para ela
• Não permita que outras pessoas caçoem de sua criança

Fonoaudióloga Beatriz Ercolin
CRFa 14616
Mestre em Ciências da Reabilitação pela Faculdade de Medicina da USP.
Especialização em Fonoaudiologia pela Faculdade de Medicina da USP.
Aprimoramento em Disfagia pelo Instituto de Infectologia Emilio Ribas.

beatrizercolin@gmail.com

Voltar