Por que as crianças se comportam mal?

Saiba mais sobre a moleira dos bebês
30 de maio de 2017
Existem mais pais hiperpassivos do que crianças hiperativas
6 de junho de 2019

Educar uma criança não é uma tarefa fácil e o mau comportamento dos filhos é um problema que mexe bastante com os pais, pois eles não compreendem os motivos por traz dessas ações.

Alguns motivos que podem levar à esse comportamento:

👉 Pela imaturidade do cérebro: O cérebro da criança está em formação e ainda não tem a capacidade de ajudar a regular as coisas que incomodam, como choros e gritos;

👉 Porque estão cansadas e com sono: Nesse estado as emoções negativas se intensificam e demoram a se estabilizar;

👉 Porque estão com fome: Quando se está com fome há um desequilíbrio nos níveis de açúcar e um aumento no nível de cortisol e adrenalina, promovendo agressividade e ansiedade;

👉 Por necessidade atenção: Todos os seres humanos tem a necessidade de se sentirem notados. Se a única forma que a criança encontra para chamar a atenção é quando se comporta mal, então ela seguirá fazendo isso;

👉 Porque necessitam de uma estrutura: Quando não colocamos limites, quando não há regras claras, as crianças se sentem perdidas e ansiosas, refletindo no comportamento;

👉 Porque faltam estímulos: Uma criança que fica parada por muito tempo ou trancada o dia todo fica entediada, e se não encontrarem um estímulo vindo da família, vão encontrá-lo através de um mau comportamento;

👉 Porque estão vivendo uma situação difícil: Morte, separação, mudanças drásticas, bullying ou ciúmes entre irmãos podem ser motivos para um mau comportamento;

👉 Porque refletem o que os pais sentem: Muitas vezes a raiva, a depressão, a angústia que elas demonstram é um reflexo do que os pais estão vivendo e sentindo;

👉 Porque os pais ajudam a ativar uma parte do cérebro que não deveriam: Quando a interação com eles é gritando ou batendo, um mar de hormônios estressantes que afetam o comportamento é liberado;

Mas o que fazer quando a criança se comporta mal?

👉 Diante do comportamento inadequado, evite se desesperar. Mostre paciência e compreensão, seja gentil e firme ao dizer qual deve ser o comportamento apropriado;

👉 Evite gritar e desqualificar a criança, pois quando uma criança se comporta mal, ela pode estar tentando se comunicar. As crianças aprendem com o exemplo.

👉 Reforce o bom comportamento, elogie com frases como “Que bom que você compartilha seus brinquedos” ou “Obrigado por pegar seus brinquedos, você me ajuda muito”. Isso transmite segurança.

Os pais também devem ficar atentos à intensidade e duração desses comportamentos e, se necessário, busque ajuda de um neuropsicólogo!

Dra Elisabeth Fernandes

Pediatra geral com mestrado e doutorado pela USP e proprietária da Clinica Pediátrica Crescer.

Voltar